quarta-feira, 3 de julho de 2013

Vamos às Cataratas

Pra quem não mora em Maceió (eu consequentemente não moro, mas estudo), queria avisar que hoje, literalmente, o céu caiu... sim, literalmente, caiu mesmo... não, é mentira, mas, choveu pra caralho, choveu demais, como nunca tinha visto antes. Humberto Gessinger pediu tanto, que sim, a chuva hoje caiu como um dilúvio. Saio de casa ás 5:40, chego lá ás 7:00, e volto ás 12:30, e até isso não tinha parado de chover um segundo sequer, e com certeza ainda deve estar chovendo por lá.

Uma coisa que eu nem deveria ter feito, era ter saído de casa, por causa da chuva, uma árvore caiu próximo à escola, e houve falta de energia, me senti uma idiota em ter ido. Mas enquanto eu estava lá fazendo nada, com as pernas em cima do birô do porteiro, um colega de classe me chamou muito a atenção. Quando o vi chegando, em baixo daquela chuva, todo desajeitado, coberto por uma capa de chuva amarela, mais ou menos assim:



Instantaneamente lembrei-me do episódio mítico (todos são) do Pica-Pau, “Vamos Às Cataratas”, onde o Pica-Pau quer descer as Cataratas do Niágara num barril. Só de escrever já estou dando risada. É incrível o cinismo demonstrado pelo Pica Pau em relação ao policial, e também é muito engraçado todas as vezes que o policial cai nas cataratas e os turistas com capas amarelas gritam AÊÊÊÊ!!! Mas a grande cena do episódio é aquela em que um monte de guarda acaba caindo cachoeira abaixo, cada um no seu barril, e mais uma vez os turistas: AÊÊÊÊ!!!


Não pude deixar de achar engraçado. Mas isso acabou me lembrando, de como eu odiava ir pra escola em tempos de chuva quando era criança, por um motivo: Minha mãe me obrigava a ir pra escola com capa de chuva. Cara, será que ela não tinha noção de que os meus amigos riam de mim por causa disso? Capa de chuva, pra mim, deve ser usada por motoqueiros, se não, é simplesmente constrangedor. Eu chorava pra não ir com capa de chuva pra escola, e o pior de tudo, é que íamos eu e meu irmão juntos... os dois... vestidos com capas de chuva iguais... E como eu moro no interior, e tudo aqui é relativamente perto, constantemente íamos pra escola de bicicleta... Imagina o quanto a capa de chuva atrapalhava nossa vida nesse trajeto de pedaladas.

Eu era uma criança muito tímida, ainda sou, mas na infância era terrivelmente tímida e quieta. Imagina pra uma criança assim, chegar na escola e os coleguinhas a apelidarem de Mulher do Zé Gotinha, traumatiza, crianças sabem ser malvadas.

Luiza 

Comecei então a bolar um jeito de não chegar mais na escola com aquela maldita capa transparente que me deixava parecendo um preservativo masculino. Então, eu colocava um guarda-chuva pequeno na mochila, e no meio do caminho tirava a capa e usava o guarda-chuva, mas eu só não contava com uma coisa... que meu irmão fosse contar tudo pra minha mãe ao chegar em casa, maldito, até entendo, ninguém gosta de passar vergonha sozinho.

Desde então, minha mãe nos seguia no caminho da escola, pra ver se eu iria tirar a capa novamente. Antigamente não, mas hoje até entendo, que nem era tanto a questão de que ela queria porque queria que eu fosse com a maldita capa, o problema era querer passar por cima da autoridade dela, mas vai explicar isso pra uma criança.

Então é isso, sinto muito se vocês chegaram até aqui, só queria compartilhar um trauma de infância com vocês, voltem a fazer coisas realmente interessantes... se bem que alguém que me lê nunca deve tá fazendo algo de interessante, mas voltem a fazer o que estavam fazendo, vaaai, perde mais tempo aqui não ô moleque.

4 comentários:

  1. Depois de um longo inverno ... estou eu aqui de volta.
    Oi mulher do zé gotinha, tudo bem ?
    Zé gotinha teve uma grande sorte ;) ;)

    ResponderExcluir
  2. É compreensível o engano, mas todos cresceram entendendo errado.
    O que os turistas gritam nas cataratas do Niágara no desenho do Pica-Pau NÃO É "AEEEEEEEEEEEEEE".
    .
    Eles gritam: "HOORAYYYYYYYY!!!! (Em português Ruureeeeeiiiiiiii)"
    Que significa: "Vivaaaaaaaaaaa!!!"

    ResponderExcluir