sábado, 16 de fevereiro de 2013

Bandas de uma música só

As bandas de uma música só, são normalmente, aquelas bandinhas de garagem que têm a sorte de subir nas paradas com músicas geralmente ruins, e devido a esta própria falta de qualidade desaparecem.
A indústria da música sempre foi e sempre será uma coisa muito curiosa, pois ao mesmo tempo em que as pessoas adoram uma determinada música e o seu cantor, no momento seguinte os esquecem completamente. Essas bandas são conhecidas como One Hit Wonders, que não é a mesma coisa que as famosas “bandas de hits de verão”, tipo, Parangolé, essas só fazem “sucesso” de ano em ano, e com uma única música, as One Hit Wonders fizeram sucesso com uma única música durante todo o tempo de duração da banda e sumiram.
No post de hoje farei uma lista com 10 cantores e bandas que fizeram sucesso com uma música e depois sumiram ou não conseguiram mais voltar as paradas de sucesso com grandes hits.

10 - The Rembrandts - I’ll Be There For You

Talvez se a banda fosse assim, eles fizessem mais sucesso

Conhecida pela famosa música de abertura do seriado Friends. Ter a música na abertura de um dos seriados de maior sucesso da televisão pode ser uma maldição. A página oficial deles comenta que são mais conhecidos pelas músicas "Just The Way It Is, Baby" e "I'll Be There for You", mas ninguém deve conhecer essa primeira aí. I’ll Be There For You fez com que a banda ficasse conhecida apenas como “a banda da musiquinha do Friends”.


9 - P.O. Box – Papo de Jacaré

"Nossa, eu lembro dessa"

Eu nem sabia que o nome da banda era P.O. Box, e provavelmente, você também não, mas é assim mesmo, não se prenda aos nomes das bandas, afinal isso é burrice. Quem sabe você se lembre.
P.O. Box é um grupo musical brasileiro formado em 1997 em Goiânia. Foi o que eu consegui achar sobre eles, só isso, mais nada. A música Papo de Jacaré (que ninguém entendeu até hoje por que era de jacaré) que fala sobre as desventuras de um cara tentando conquistar uma garota nerd, estourou em 1999, foi febre principalmente entre adolescentes, que sabiam cantar a música de cor. Inclusive eu, que não era adolescente ainda, só tinha 4 anos, mas sabia a música toda (...a miiiinha líííngua, que já tem até uma íngua por causa do seu inglêêêês). Depois desse hit, ninguém mais ouviu falar deles.


8 - Só no sapatinho - Só no sapatinho

Se não fosse o Zico...

Grupo de pagode do filho do Zico, muitos atribuem o “sucesso” da banda graças a esse fato. Conviveram com a fama em 1999, quando estouraram de cara com a música que tinha o mesmo nome do grupo, que fala de um cara que quer conquistar uma mulher que todo mundo quer pegar, chegando 'só no sapatinho', que otário. Como qualquer banda de pagode que se preze, Só No Sapatinho teve um fim merecido - o ostracismo.


7 - Sylvinho - Ursinho Blau Blau

Sylvinho Blau Blau
Esse nem é do meu tempo, mas percebe-se que só ficou conhecido por uma música quando você descobre que o cara é chamado pelo nome da mesma: Sylvinho ‘Blau Blau’. Bom, como eu já disse, a música não é do meu tempo, é do ano de 1987, eu nem sonhava em nascer, mas, sim, eu conheço a música porque eu tinha um CD de uma cantora infantil que regravou, olha só. A música fala de um cara que com certeza tinha problemas mentais porque conversava com um urso de pelúcia sobre uma desilusão amorosa, e ainda era bem homossexual porque dava uns gritinhos, tipo, “ai ai ai ui Blau Blau” “ai de mim, ai, ai Blau Blau”.
Voltou na mídia recentemente porque participou da última edição da Fazenda, na Record, o que com certeza foi pior que os problemas com drogas que teve no início da carreira.


6 - Los Del Rio - Macarena


Los del Río é um grupo musical criado em Sevilha, Espanha e composto por Antonio Romero Monge e Rafael Ruíz. Um deles parece o Padre Zezinho, mas isso não vem ao caso.
É difícil encontrar alguém que não conheça essa música. Mais difícil ainda é achar alguém que conheça outra música dessa dupla espanhola. Macarena é um ritmo frenético que sacudiu as placas tectônicas do planeta na década de 90.  Todo mundo sabe a coreografia, e todo mundo só canta o refrão, porque o resto da música é indecifrável, até pra quem habla espanhol. É, amigo, a Macarena marcou uma geração! No futuro nossos netos perguntarão “Que porra é Macarena?”, e então seremos obrigados a fazer a coreografia pela milésima vez e ficar com o "êêêêê macarena aaai" na cabeça até nascerem os bisnetos, quando vamos ter que fazer a coreografia de novo e ficar com o "êêêêê macarena aaai" na cabeça até morrer.



5 - As Meninas - Xibom Bombom


As Meninas foi uma banda baiana de axé music e swingueira formada em 1997. Originalmente o grupo teve como integrantes originais Carla Cristina, Angélica, Cibele, Fernanda Barbosa, Jujuba, Ratinha, Titi e Dilmara e eu, segundo a descrição deste mesmo blog. Xibom Bom Bom, fez muito sucesso em 1999/2000, mas não se deixe enganar pelo título escroto da música, por incrível que pareça, existe uma forte crítica social na letra, apesar de intercalada pelo grudento refrão que até hoje me pergunto o que significa. Todo mundo dançava essa música, mas tente lembrar de alguma música d’As Meninas depois disso.


4 - Kaleidoscópio - Tem que valer


Kaleidoscópio é um grupo musical brasileiro, formado em 2002, de música pop e eletrônica. É uma dupla que faliu mais do que qualquer outra, você não conhece eles, ninguém conhece, só devem se lembrar vagamente da música tocando na Malhação, como eu. A música inicia dizendo "Tem que valer valer viver. Tem que viver viver  pra valer". Onde o nexo disso aí foi parar? Mais uma que só conseguiu sobreviver a um hit, hoje não deve nem ter dinheiro pra comprar bolacha mabel.


3 - 4 non blondes - Whats up


Foi uma banda de rock alternativo norte-americana formada em 1989 em São Francisco. Eles achavam que o fato de nenhum ser loiro era algo peculiar, assim nomearam-se "Quatro Não-Loiros". “What’s Up” era uma baladinha com atitude que tocava em todas as rádios nos anos 90. Mas aí o sucesso acabou subindo à cabeça do pessoal, o grupo brigou e os integrantes sumiram.


2 - Carrapicho - Tic Tic Tac


Grupo Carrapicho foi uma banda brasileira, originária do estado do Amazonas, que conseguiu relativo sucesso nos anos 90. A banda apareceu em tudo que é programa por causa da tosqueira "Bate forte o tambor, que eu quero tic tic tic tic tac". Até na Rússia a música foi plagiada. Como todo carrapicho, a banda ainda tentou resistir gravando outras músicas, mas não teve jeito. Morreu! Na verdade “tic tic tac” só servia pra fazer apresentação no dia do índio no primário.


Então, um cantor russo, Murat Nasyrov, da República da Georgia, gravou essa brilhante versão em russo, e mistura o Grupo Carrapicho com a Família Addams.
A única  coisa que se sabe a respeito da música é que ela se chama “Malchik hochet v Tambov”, que significa “O Garoto quer ir pra Tambov”. Tambov é uma cidade da Rússia. O cantor se suicidou em 19 de janeiro de 2007, se jogando da sacada do prédio onde morava, após consumir LSD e bebida alcóolica. A família alega que ele foi vítima de um crime, mas eu acho na verdade que ele se matou mesmo porque não aguentava o fardo de ser um "Carrapicho Russo", mas antes disso ele deixou essa pérola.



1 - Luka - Tô nem aí



A cantora compôs a música em parceria com o Latino, escreveram qualquer coisa no papel e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo e repetindo...  Na verdade, ela tinha um namorado que ela gostava muito, tanto que dava muitas chances de ele ser um bom rapaz, mas foi vencida pelo cansaço, enterrou o amor dela e ele agora descansa em paz. Ela ficava de mãos atadas, de pés descalços, e com ele o seu mundo andava de pernas pro ar. Sempre armada, seguiu os passos dele, atando seus braços pra ele não a abandonar, esqueceu do nome do ex e seu telefone ela fez questão de apagar, aceitou os seus erros, se reinventou e virou a página, agora ela tá em outra... Tá nem Aí, tá nem Aí... Pode falar dos seus problemas que ela não vai ouvir. Foi sucesso em todas as rádios do país por dois anos seguidos, sem querer saber dos problemas de ninguém. Depois do sucesso, que foi trilha sonora da eterna novela/seriado sem fim Malhação, lançou outras músicas e continua na ativa, mas morreu do mesmo jeito, ninguém nunca mais a ouviu cantando em lugar algum dessa selva de pedra chamada Brasil, nem mesmo no Triângulo das Bermudas, nem no Acre. Luka não toca em lugar nenhum, afinal ela não está aí em Lugar Nenhum piadinha ruim, cara yéh yéh.



Ocorre mais ou menos assim: Uma banda ou um cantor até então desconhecido nacionalmente, do dia para a noite começa a ter uma música tocada em todas as estações de rádio, todo o tempo. A música é incrivelmente pegajosa. Não precisa ouvir nem pela segunda vez pra decorar, e depois da terceira já será capaz de cantarolar o refrão sozinho, por mais que se esforce para que isso não aconteça. Essa mesma banda ou cantor, que fez um baita sucesso, comparece aos grandes programas de TV, declaram seu amor à Xuxa em todas as entrevistas, de repente desaparece. Dá até um vazio... Esse grupo de One Hit Wonders é muito extenso, não daria pra citar todos aqui,... e eu poderia até falar do Vinny, mas, além de Heloísa, mexe a cadeira, ele também ficou conhecido pela música da Tiazinha, olha só, foram dois hits, seria injusto com ele. Pepê e Nenem, também só tiveram um único sucesso, mas viviam no programa da Sônia Abrão e disseram que eram lésbicas no Tv Fama, ficaram na mídia além da música (rs), mas é isso, todas essas bandas/cantores estouraram no início, e não tiveram gás pra lançar mais nada depois. O programa Ídolos é um bom lugar pra se encontrar um desses.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

O carnaval


Naturalmente, existem as pessoas que não gostam dessa tão famigerada esbórnia de 72 horas sem dormir, tipo, eu. Tá, é bonito, colorido e tal, tem festa, muita farra, bebedeira, pegação. Mas a parte que eu mais gosto no carnaval (a única) é que é feriado (em termos). Do que a gente ta reclamando né? Se fosse no Japão seriam férias, e não feriado.

É uma das festas mais populares e símbolos de nossa cultura. Festa que acontece, antecedendo a Quarta-feira de Cinzas e a Quaresma, seguindo a lógica de que, após os dias de esbórnia, todo mundo fica só o pó e depois passa 40 dias recuperando a memória e se arrependendo do que fez.

Tipos de Carnaval

Rio/São Paulo



Existem vários tipos de carnaval, onde o do Rio e de São Paulo são transmitidos pela Vênus Platinada (que, segundo o Yahoo respostas, tem esse apelido porque: lá só tem gueys), daí o motivo por serem os mais populares. Esses têm desfile, mulheres peladas, carros alegóricos que se mexem, muito glitter, pessoas famosas, samba e milhões de reais em penas de pavão e confetes.

Salvador


Acho que foi sem querer, ele tava olhando pra câmera


Tem aquele estilo micareta lá de Salvador. O trio elétrico com a Ivete Sangalo vai à frente e todo mundo vai atrás. Pagam 400 R$ por um abadá, e ficam lá sentindo cheiro de xixi. Não é a toa que eles fazem até campanha ‘não faça xixi na rua’. Olha o nível da coisa, tem que fazer CAMPANHA para as pessoas não fazerem xixi na rua. Eu não sei, mas acho que as pessoas deviam ter consciência disso sem precisar fazer campanha. E mesmo assim não adianta muito, todo mundo faz xixi na rua. Imagina três milhões de chicleteiros na rua, pulando, suando, se pegando, bebendo e depois fazendo xixi...

Fora àqueles que ficam bem loco, acordam no outro dia de manhã numa banheira cheia de gelo e sem um rim. Ou acordam num quarto de motel com 7 caras negros diferentes. Como faz daí?
Em Salvador o carnaval, na verdade, começa no dia 1º de janeiro e termina no dia 30 de dezembro. Durante o dia 31 os baianos terminam a festa e vão trabalhar. Qualquer pessoa que queira participar provavelmente terá que se desfazer de todos os seus bens para adquirir um Abadá. E aqueles que não se desfizerem, vão perder nos assaltos e arrastões mesmo.

Recife/Olinda



Tem também, o que eu acho que é o mais tradicional, que é o Carnaval de Recife/Olinda, no qual os participantes sobem e descem ladeiras de 87,3º de inclinação. O folião deve escolher uma das 454647 orquestras de frevo que transitam e acompanhá-la até a exaustão máxima sendo beijado por qualquer figura humanóide que encontrar pelo caminho. As noções de Individualidade e Monogamia devem ser abandonadas. Existe a possibilidade de 2,19% de que o folião não seja furtado se ele conservar quaisquer objetos de valor ou dinheiro em seu estômago.

Carnaval Televisionado


Especialistas em “Quantos tombos a Mirela leva antes dos 15 min de desfile”


Os desfiles sempre são exibidos tendo em foco o público que não aprecia carnaval, afinal, quem gosta de carnaval nestas horas está se esbaldando nas orgias nababescas nos bailes e desfiles e não assistindo transmissões tediosas. Ou então, quem é parente de alguém que tá desfilando durante mais ou menos 2 horas num espaço de 700 metros pra ver se ganha o prêmio ou pelo menos aparecer na TV; quem não foi convidado pra passar o carnaval na casa de praia do amigo e está tentando pegar no sono vendo aquele cara que está tentando aparecer na TV; e, por fim, quem está quase morrendo na casa de praia do amigo, porque bebeu demais, sem poder sair para “brincar carnaval”.

Aí um termo totalmente apropriado: “brincar carnaval”. Afinal, brincar é coisa de criança, e isso justifica alguém que tem mais de 25 anos atirar spray ou farinha de trigo no olho de outro alguém que está prestes a revidar a tão nobre e inteligente atitude.
O fato principal do carnaval ser uma das festas mais adoradas do brasileiro é o fato dele ser um bom motivo. Um bom motivo pra você só começar a estudar/trabalhar mesmo depois de fevereiro; um bom motivo pra você se vestir de mulher e realizar sua fantasia que só pode ser realizada no carnaval, onde outros amigos seus também se vestem de mulher e não podem te chamar de viado. E o melhor de tudo é que, pra esses bons motivos, não existem remorso. Remorso quem sente mesmo é quem não gosta de carnaval. “Porra, eu moro aqui. Não tem pra onde fugir. Em todo canto tem carnaval, puta merda”.

Folião feliz por realizar sua fantasia sem que ninguém o critique

Mas você que gosta de carnaval: esse ano teremos um ótimo carnaval garantido pra você. Vai sair um dinheiro público pras escolas de samba. Até porque o Carnaval não movimenta só pandeiro e bunda de passista, movimenta a economia também. Então você que gosta de samba, animação, holofotes, purpurina, peitos, bundas, carro alegórico, trio elétrico… terá o melhor carnaval de todos. Porque poxa, você pagou por isso.
O governo tá uma merda? Você ganha pouco? Trabalha igual um louco? Relaxa... vem o carnaval aí! Pra que se preocupar com isso? O ano só começa em março...
Não é papo de moralista, até porque se fosse, começaria todas as frases com “Brasil, esse é o Brasil” “Isso é o Brasil”. Sim, esse é o Brasil, como vocês podem ver, localiza-se na América do Sul, faz fronteira ao norte com a Venezuela, com a Guiana, com o Suriname e com a Guiana Francesa, etc. Papo de moralista é chato. Eu não sou chata pensem assim por, favor, sejam meus amigos. Mas é bem assim "O que pra você não parece legal pra milhões de pessoas é ótimo, imagina só se todos gostassem do que você gosta, caraca, que Brasil mais chato de viver." Sobre a opinião da maioria que vai achar isso, não tenho que concordar mas não posso fazer ou falar muito para mudar, já que é a opinião da maioria. Pra milhões de pessoas é ótimo mesmo, principalmente para enfermeiras e médicos que trabalham dobrado por causa da irresponsabilidade das pessoas, para famílias que perdem parentes em acidentes de carro nas estradas. A questão é que o Brasil valoriza isso ao máximo, porque já é o símbolo do país há muito tempo, assim como os jogadores de futebol ou o turismo sexual. Se quer fechar os olhos pra isso durante o carnaval, sugiro que se fantasie de pirata, pelo menos assim um já fica fechado. E ta, essas coisas podem não ser exclusividade da época de carnaval, mas não discorde comigo de que esse número triplica nessa época.

Amigos do Carnaval

- Rede Globo


- Gringos


- O Capeta


- Bonecão de Olinda


- Rachel Sheherazade



Inimigos do Carnaval

- Igreja Universal do Reino de Deus


- Capitão Nascimento


- Eu


- Roqueiros


- Che Guevara

Há boatos de que “Che Guevara” seja só uma estampa de camiseta

Como eu já disse, a única parte boa do carnaval é o feriado (sim, eu sou desses brasileiros preguiçosos e relaxados). Não fazer nada, dormir, assistir filmes, namorar, comer, ler, ficar na internet, isso é tudo que dá pra fazer no feriado caso você não goste de carnaval. Sei lá, faça uma festa na sua casa.

Pra você que gosta, um bom carnaval, beba com moderação e use camisinha, não faça xixi na rua e faça o teste do HIV! E pra quem não gosta, é... dorme.